Sobre

TEMI é um projeto de desenvolvimento pessoal para professores na area das ciências, financiado pela Comissão Europeia no âmbito do 7º Programa Quadro, na categoria Capacities, Science in Society, Coordination Action.

Call identifier: FP7-SCIENCE-IN-SOCIETY-2012-1

Tópico SiS.2012.2.2.1-1:Apoio a ações de Inovação na sala de aula: formação de professores a larga escala a nível europeu, em metodologias de ensino baseadas na investigação.

Objectivo e visão

O projeto TEMI – Teaching Enquiry with Mysteries Incorporated centra-se na formação de professores para ajudar a transformar as práticas de ensino da ciência e da matemática em toda a Europa, trabalhando com os professores novas competências, propondo recursos inovadores e desafiantes e o apoio necessário para uma efetiva abordagem do ensino da ciência e da matemática através da investigação.

Faremos isso trabalhando com as instituições de formação de professores e redes de professores em toda a Europa, onde vamos implementar programas de formação inovadores chamados “laboratórios de investigação“. Estes serão construídos em torno dos conceitos científicos fundamentais e através de atividades de resolução de mistérios emocionalmente envolventes, ou seja, explorando o desconhecido.

Os laboratórios de investigação contarão com a participação de cientistas e profissionais da comunicação (por exemplo, atores e conferencistas motivacionais) no sentido de ajudar os professores na transição para um ensino da ciência baseado em perguntas.

Um modelo ao mesmo tempo centralizado e distribuído permitirá que o projeto responda às necessidades locais de cada país, mantendo ao mesmo tempo uma partilha global das melhores práticas a nível europeu.

Aprendizagem da Ciência Baseada na Pesquisa

Por definição, a investigação é o processo intencional de diagnosticar problemas, realizar experiências e avaliar as alternativas, planeando investigações, levantando hipóteses, em busca de informações, construção de modelos, debatendo com os colegas e construindo argumentos coerentes. [...] O Ensino da Ciência baseado na Pesquisa (IBSE) é uma abordagem baseada em problemas, mas vai além disso propondo uma abordagem experimental. ("Science Education NOW: A renewed Pedagogy for the Future of Europe", Comissão Europeia, 2007)

Esta abordagem comporta uma enorme promessa para a educação científica, no sentido de inverter o declínio nas atitudes dos alunos em relação à ciência e à matemática, promovendo um pensamento científico melhor. No entanto, isto exige uma mudança na cultura da sala de aula existente.

O projeto TEMI na procura da eficácia na consecução desta mudança, adota uma perspectiva que é, ao mesmo tempo consistente com a pesquisa contemporânea e pragmática em relação aos contextos escolares reais. Acreditamos que a definição mais produtiva do ensino baseado na pesquisa visa exercitar um conjunto determinado de competências dos alunos. Essas competências foram claramente descritos pelo Conselho Nacional de Pesquisa dos Estados Unidos (2000), e estão de acordo com o relatório da UE (Educação em Ciências: NOW) que argumenta que a investigação permite ao aluno desenvolver competências intelectuais 'cruciais'. As cinco áreas a trabalhar são:

  1. Motivar os alunos através de questões cientificamente relevantes
  2. Dar prioridade à experimentação para responder a perguntas
  3. Levar os alunos formular explicações baseadas na experimentação
  4. Conectar as explicações com o conhecimento científico
  5. Comunicar e justificar as explicações para os outros

TEsta visão baseada em competências pode e deve acomodar outros elementos relativos à aprendizagem centrada no aluno. Não se trata de uma questão de tudo ou nada, mas sim de ajudar os professores a aprender a avaliar o nível de investigação ideal tendo em conta as circunstâncias e as competências atuais dos alunos.

O que é um Mistério?

Em educação científica, um mistério é um fenômeno ou evento que provoca a percepção de suspense e admiração no aluno provocando uma alta carga emocional inicial "quer saber" - o que leva a um aumento da curiosidade e inicia o levantamento de questões para serem respondidas pelo pesquisa e pelas atividades de resolução de problemas. Um mistério é um bom mistério para uma sala de aula, se:
  • Pode ser investigado e explicado cientificamente e está dentro da competência dos alunos envolvidos
  • Provoca envolvimento afetivo dos alunos
  • Gera curiosidade e levanta questões nos alunos
  • Problematiza ou seja torna o conhecimento ou e as competências de investigação da parte integrante da resposta ao mistério
  • Cobre uma parte significativa do currículo avaliado nacional para justificar o tempo gasto
  • É simples o suficiente para ser um "evento discrepante" e gerar conflito cognitivo
  • Pode ser investigado num tempo limitado (1-2 aulas)
  • Assenta numa pedagogia que se baseia no próprio mistério
Um mistério é um mau mistério para a sala de aula, se:
  • É interessante para o professor, mas nem por isso para os alunos
  • Gera pouca curiosidade e o professor tem que fazer todo o trabalho
  • Envolve conceitos científicos que estão para além da capacidade de compreensão dos alunos
  • O assunto é periférico em relação ao conteúdo do currículo
  • É demasiado complexo, levando os alunos a explicá-lo como "magia" (um truque que eu não preciso de explicar)

Equipa

O Projeto TEMI conta com 13 parceiros de 11 países Europeus.

Coordenador

Queen Mary, University of London, UK

Apps e Página Web

CNOTINFOR, Portugal

Avaliação do Impacto

TRACES, France

Promoção e Disseminação

STERRENLAB, The Netherlands

Centros de Formação

Università degli Studi di Milano, Italy

Bremen University, Germany

University of Limerick, Ireland

Sheffield Hallam University, UK

Hogskolen I Vestfold, Norway

University of Vienna, Austria

Leiden University, The Netherlands

Charles University, Czech Republic

Weizmann Institute of Science, Israel